Avançar para o conteúdo principal

És amigo do Pinto da Costa? Tens carta verde para não ires para a prisão.

Supremo suspende pena de prisão a presidente da Académica


José Eduardo Simões tinha sido condenado a seis anos de cadeia por corrupção passiva e abuso de poder. Juízes dizem agora que praticamente só se limitou a beneficiar o clube.

O presidente da Académica, José Eduardo Simões, viu o Supremo Tribunal de Justiça suspender-lhe nesta quinta-feira a
pena de prisão de seis anos a que tinha sido condenado anteriormente por corrupção passiva e abuso de poder.
O dirigente desportivo havia sido sentenciado por, enquanto responsável do departamento de urbanismo da Câmara de Coimbra, ter beneficiado promotores imobiliários em troca de donativos para o clube.
“Os fins e motivos da actuação do arguido no quadro das constantes dificuldades económicas e financeiras do clube não podem deixar de interferir na percepção comunitária do crime, atenuando as exigências […] que são, por regra, reclamadas pelo crime de corrupção”, escrevem os conselheiros do Supremo Tribunal de Justiça.
Para os juízes, o caso tem contornos especiais que o afastam dos casos típicos em que a ganância é a principal motivação do crime: “Salvo uma única excepção, as vantagens destinaram-se a um clube desportivo. E mesmo a única vantagem directa recebida pelo arguido não se dissocia da vida do clube, porque foi destinada à campanha do arguido para a direcção do clube.”
O Supremo Tribunal de Justiça determinou, ainda assim, que José Eduardo Simões entregue cem mil euros a duas associações de apoio a crianças.
FONTE DA NOTÍCIA : Público

Comentários

  1. puta que pariu estes juizes de toga e sem toga ,e tudo uma escumalha a viver a custa do povo, mas ja faltou mais

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

O Mistério da morte de Mesquita Alves

  Só eu é que acho completamente estranho que nenhum jornal ou TV ainda tenha sequer feito noticia relevante a MORTE de um dirigente do FCPorto nas instalações da SAD do FCPorto , num cenário cheio de "alegadamentes" onde... alegadamente... dizem que o homem se matou, mas... alegadamente... a arma do crime não foi encontrada no local (querem ver que se desfez dela depois de se matar?)... Há muitos muitos anos, não me lembro agora o nome do homem, houve um ex-dirigente que teve um acidente mortal na A1, alguém que lá está... alegadamente... se ia candidatar ao FCPorto e se assumia como opositor, mas que infelizmente e... alegadamente... teve um acidente. No dia que a notícia foi muito discretamente publicada (dia 22), o melhor que o FCPorto conseguiu anunciar foi... a assinatura de um protocolo com o Ferroviário de Maputo e se consultarem as  notícias do site , nem uma breve e singela referência ao dirigente. Os jornais não querem saber... ... do FCPorto nem uma

FC Porto o verdadeiro clube fascista

Continuo a desmistificar o “mito Salazar”, que serve de desculpa para justificar o sucesso ilegítimo do FC Porto, através de um sistema corrupto entranhado no s eio do futebol Português. As vitórias são conquistadas desonestamente de forma vil e corrupta, mas para as hostes portistas: “os meios justificam os fins”. Na fotografia, temos os jogadores do FC Porto a mostrarem o seu tributo a Salazar e à sua ideologia fascista num desfile, Não há conhecimento de desfiles dos jogadores do Benfica a fazerem a dita saudação, sim porque esta foto não me parece ter sido tirada num campo de futebol. E as fotografias de saudações a Salazar com jogadores do Benfica, além de não serem muitas, são tiradas em campos de futebol. Esta aqui parece ter sido tirada num desfile, tributo, homenagem. Estou farto da imbecilidade mental que tenho ouvido por aí nos últimos tempos. É uma coisa que nasce das tentativas persistentes de tentar destruir o maior clube de Portugal: O Benfica. E qual

HISTORIAL DA CORRUPÇÃO DO FCP

  1928 Urgel Horta é o presidente do Futebol Clube do Porto em 1928/1929, algo que viria a repetir em 1951/1954. Março, 13 Urgel Horta faz uso da sua autoridade e eleva o FC Porto a Instituição de Utilidade Pública, passando a usufruir de todos os benefícios daí inerentes. | Ler mais 1938 Ângelo César Machado, um dos «braços intelectuais» que puxa Salazar para a Presidência do Conselho, sobretudo através de seus artigos no Diário da Manhã , sobe a Presidente do FC Porto, acumulando assim o cargo de Presidente de FC Porto e Deputado, deputado que continuará a ser até 1945. | Ler mais 1939 Abril, 23 Em jogo da última jornada da época 38/39 o Benfica visita o FC Porto e a vitória de um ou de outro decide o título de campeão. A polémica começa logo com o FC Porto, habituado a jogar no Estádio do Lima, a transferir o jogo para o Campo da Constituição para maior conforto do público, o que desagradou ao Benfica. E no jog